Lipoescultura, o “adeus” à barriga de quarentena

Lipoescultura, o “adeus” à barriga de quarentena

Partilhe este artigo:

Os últimos três meses foram desafiantes a vários níveis: tivemos de reajustar a vida laboral, social e familiar, ficando em isolamento e na incerteza do que se passaria depois. Com tantos desafios, ficaram para trás os cuidados com o corpo e a alimentação regrada que nos mantinha “na linha”, resultando em problemas de pele e em alguns quilinhos a mais – e não se sinta culpada por isso, aconteceu a todos. Agora, é tempo de tentar retomar rotinas e de mitigar os efeitos que esta quarentena teve no corpo.

É essencial, assim que possível, adequar a alimentação: cumprir os horários para cada refeição e optar por uma alimentação rica e variada, mas saudável, controlando o número e a qualidade das calorias ingeridas. O exercício físico também deve ser retomado. Alguns ginásios já abriram portas, outros ainda funcionam em regime de aulas online e existem diversos modelos de treino ao ar livre – a oferta é diversa e, em último caso, podemos sempre calçar uns ténis e ir para a rua e aproveitar o final da primavera.

Ainda assim, e mesmo perdendo alguns quilinhos que possam ter surgido, voltar a ter a silhueta pré-quarentena pode ser um grande desafio, já que dois meses de sedentarismo provavelmente resultaram em gorduras muito localizadas e que não desaparecerão facilmente, sobretudo na barriga e flancos. Para esses casos, a cirurgia pode ser uma aliada e a boa notícia é que, hoje, é fácil dizer “adeus” a essa barriga de quarentena através de lipoescultura, que vai retirar exatamente essas gordurinhas a mais, redefinindo o corpo.

Muitos confundem com lipoaspiração, mas, apesar de ambos significarem a retirada de gordura, não são procedimentos idênticos. Enquanto a lipoaspiração pressupõe a simples retirada de gordura, a lipoescultura serve para modelar o corpo, retirando a gordura de uma forma mais localizada e de sítios estratégicos. Esta gordura pode ser introduzida noutras zonas do corpo para delineá-las e dar-lhes volume, criando sombras e contrastes e criando um corpo de aspeto mais atlético.

A lipoescultura pode abranger zonas tão distintas como pescoço, barriga, flancos, coxas ou glúteo já que, para conseguir um resultado harmonioso, é necessário olhar para o corpo num todo e fazer com que todas as zonas se unam de forma orgânica. Mas isso não significa que todos os casos de lipoescultura precisem de intervenção em todas estas zonas, muito pelo contrário: habitualmente, é a barriga e os flancos que mais precisam de atenção e agora ainda mais, para combater o tal volume trazido nesta fase de pandemia covid-19. Mas porque nem tudo é mau nesta gordura, ela pode ser utilizada no mesmo procedimento de lipoescultura para aumentar a mama, o glúteo ou os flancos para uma cintura mais definida. No fim, o resultado é um corpo escultural, dando uma tremenda confiança às mulheres, que acabam por sentir-se mais sensuais, mais confortáveis com a zona abdominal e mais confiantes no dia a dia.

E porque tudo o que precisamos são boas notícias, segue mais uma: ainda consegue ter o corpo de sonho para este verão. A lipoescultura, se feita nas circunstâncias recomendadas, é um procedimento de baixo risco, é feito com uma pequena incisão de 3 a 5 milímetros e a recuperação é relativamente rápida. Os resultados da lipoescultura vêem-se logo nas semanas seguintes e vão melhorando ainda mais ao longo dos primeiros meses. Uma semana depois, pode voltar ao trabalho – mesmo que já no escritório – e passado um mês até as corridas já são permitidas. Por isso, não há desculpas: está mais do que na hora de recuperar o seu corpo e de cuidar de si, não esquecendo a alimentação e desporto, porque só somos realmente felizes com um corpo equilibrado e saudável, física e mentalmente.

 

Artigo original aqui.

Partilhe este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *