O confinamento deixou a sua pele mais seca e irritada?

O confinamento deixou a sua pele mais seca e irritada?

Partilhe este artigo:

Parece que recomeçámos uma nova vida, depois destas semanas de isolamento social. Eu também voltei à rotina tanto quanto possível, mas ainda a conciliar idas ao consultório com consultas online, para proteção de todos. De resto, é expectável que todos os que o consigam fazer continuem em teletrabalho, pelo menos nas próximas semanas. E agora pergunto: nesta fase de isolamento, com o romper das rotinas, continuou a cuidar da sua pele?

Aparentemente, estamos menos expostos a elementos que possam afetar a nossa pele, já que, por casa, usamos menos maquilhagem, não apanhamos tanto sol, nem estamos tão expostos à poluição ambiental. Contudo, não é bem assim e o isolamento trouxe uma série de novos fatores que têm um impacto negativo na nossa pele. Como consequência, em vez de uma “desintoxicação da pele”, temos uma pele mais seca, borbulhas, vermelhidão, episódios de acne, psoríase, eczema, manchas e outras irritações.

Nesta fase, pode sentir a sua pele mais seca. Dentro de casa, o ar é mais seco do que no exterior e a situação é ainda agravada se tivermos o hábito de ligar o ar condicionado, o que pode tornar a pele ainda mais seca. O facto de, nesta fase de pandemia, estarmos a lavar as mãos e o rosto com maior frequência também pode causar secura e escamação, rompendo a barreira da pele. Para a hidratar recomendo beber muita água, seja quente ou fria, simples ou aromatizada com pepino ou limão. Deve evitar tomar banho com água demasiado quente e na sua rotina deverá utilizar um creme com ácido hialurónico e/ou ceramidas que ajudam a manter a hidratação da pele.

É normal se notar a sua pele mais baça, com menos brilho: a desidratação diminui a renovação celular, acumulando células mortas na superfície da pele. É fundamental manter a sua rotina de limpeza para remover resíduos de suor e toxinas. Pode utilizar uma máscara exfoliante uma a duas vezes por semana. A suplementação com niacinamida (vitamina B3), oral ou em creme, promove a regeneração celular e ajuda a absorver e neutralizar radicais livres. Uma boa noite de sono também é fundamental pois é durante a noite que ocorre a eliminação de células mortas e a síntese de novo colagénio.

A sua pele também poderá estar menos homogénea. Estando fechados em casa, todos temos a tendência a recorrer mais aos écrans, por razões lúdicas ou por motivos de trabalho. A luz azul dos écrans, tal como a luz solar, também gera radicais livres e a exposição excessiva pode afetar a nossa pele (inflamação, sensibilidade). Mesmo estando em casa, não deixe de aplicar o seu protetor solar, utilize estes aparelhos no modo “night mode” ou com o “filtro de luz azul”. A melhor solução será mesmo trocar o écran por um bom livro.

Não estranhe se durante o confinamento regressaram as borbulhas e o acne da juventude. O teletrabalho, o medo da crise económica, a preocupação em acompanhar os filhos e em minimizar o impacto do confinamento em crianças, a preocupação com familiares e o medo de nos infetarmos em idas ao supermercado, tudo isto eleva os níveis de stress e de ansiedade. Isto leva a uma alteração do perfil hormonal, com elevação dos níveis de cortisol. Esta hormona agrava o estado inflamatório da sua pele (agravando quadros de eczema, psoríase e acne) e, além disso, aumenta o stress oxidativo na sua pele, tornando-a menos saudável e aumentando a produção de substâncias oleosas. Deverá manter as suas rotinas o máximo possível e aproveite para experimentar uma nova atividade que a ajude a relaxar (meditação, yoga, exercício). Utilize uma máscara exfoliante 1 a 2 vezes por semana ou recorra a um creme com retinol, à noite (atenção à sensibilidade). O ácido glicólico também pode ajudar no controlo da oleosidade produzida pela pele.

Apesar de podermos, mais tarde, minimizar estes estragos com alguns tratamentos, o mais importante será reagir assim que começarmos a notar alterações, para que estas maleitas não tomem proporções maiores e, sobretudo, procurar prevenir. As idas à rua, com o devido distanciamento social, são também recomendadas, já que permitem aumentar os níveis de vitamina D através da exposição solar, tão importante para a firmeza e reparação da pele. Na impossibilidade de dar pequenos passeios, não dispense uns minutos no jardim ou à janela.

A nossa pele é reflexo do nosso estilo de vida e do nosso bem-estar físico, pelo que, aqui, como em quase tudo na nossa vida, o importante é o equilíbrio. Procure manter uma higiene do rosto frequente e uma alimentação à base de frutas e legumes, beba muita água, descanse, leia um livro e apanhe pelo menos 10 minutos de sol por dia (não deixe de colocar o seu protetor solar) e procure alguma atividade física. E porque não experimentar meditação ou ioga, para reduzir os níveis de stress? E, acima de tudo, procure o que lhe traz felicidade, porque o melhor elixir para uma pele radiante é, sem dúvida, o bom humor e umas boas gargalhadas.

 

Artigo original aqui.

Partilhe este artigo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *